ARTIGO: Governo precisa socorrer os indefesos

A edição do jornal Folha de Boa Vista, desta sexta-feira (29), trouxe um artigo do senador Mecias de Jesus.

Veja abaixo o artigo na íntegra:

 

Mecias de Jesus*

A pandemia do Coronavírus vem se somar a cinco graves pandemias que já assolaram o nosso planeta, causando medo e devastação. Cada uma delas mobilizou populações e esforços dos responsáveis pelas administrações públicas dos respectivos períodos, com a ruptura de atividades e imensurável desorganização social. Aqueles foram tempos de colossal aflição. Como o que ora atravessamos.

O mundo atual evoluiu sobremaneira em termos tecnológico. Ficou mais fácil e disponível a pesquisa laboratorial, na busca por saída que contemple a erradicação de males que venham a nos afligir. Mesmo assim, as necessidades primárias humanas são basicamente as mesmas. Precisamos de condições favoráveis à nossa sobrevivência,

Para estarmos inseridos no convívio social, atendendo a necessidades mínimas, necessitamos de recursos financeiros diários que contribuam para o nosso bem-estar. A pandemia causada pelo Covid-19 arruinou frágeis estruturas, atingindo, principalmente, categorias sociais normalmente excluídas de participação na atividade econômica.

Tal drama é sentido em toda a sua gravidade na Região Norte, especialmente no meu estado, Roraima, onde cerca de 50 mil famílias se encontram mergulhadas na miséria, passando fome, sem qualquer condição de transpor momento tormentoso como o que vivemos. Tenho insistido numa resolução inadiável junto ao governo federal.

Por isso, sou favorável à prorrogação do auxílio emergencial. O governo federal precisa estender esse auxílio aos brasileiros de baixa renda, bem como sugerimos ao governador do estado de Roraima que repasse o Programa Renda Cidadã para as famílias mais pobres de Roraima, transformando-o em permanente socorro aos que só dispõem desta saída para não sucumbirem no abandono em que atualmente subsistem.

O Brasil inteiro é testemunha das adversidades que têm sido enfrentadas por Roraima, mormente aquela motivada pelo colapso do regime bolivariano, que trouxe e ainda traz com frequência milhares de refugiados da Venezuela. Nossas ruas fervilham com esses expatriados que têm levado nossos serviços públicos a colapso geral.

A pandemia do Covid-19 sobrepesou cenário que se imaginava não conceder espaço possível, na perspectiva de agravamento. O presidente Bolsonaro conhece bem a nossa realidade. E por isso o apelo, à sua excelência, no sentido de prorrogar o auxílio emergencial, e ao governador de Roraima, a necessidade emergencial de abranger 50 mil famílias roraimenses no Programa Renda Cidadã.

É um rogo desesperado de milhares de desprotegidos, que quase sem esperança encontram-se entregues à própria sorte e destino.

*Senador da República pelo estado de Roraima